Índia proíbe bancos de comprarem bitcoins e altcoins

O Banco Central da Índia informou que está proibindo quem trabalhar com criptomoedas e outros serviços relacionados. A decisão foi publicada nesta quinta-feira e vale para bancos e instituições financeiras supervisionadas pelo BC indiano. Em um trecho do comunicado a instituição disse o seguinte:

“Foi decidido que, com efeito imediato, as entidades reguladas pelo RBI não tratarão ou fornecerão serviços a nenhum indivíduo ou entidade de negócios que lidem com criptomoedas. As entidades regulamentadas que já fornecem tais serviços deverão sair do relacionamento dentro de um período especificado.”, disse.

O vice-diretor do RBI, BP Kanungo, disse a jornalistas que o tempo especificado poderia chegar a três meses. Esta informação foi dada pelo jornal indiano Financial Express. A notícia deixou investidores preocupados com a possibilidade de a Índia proibir totalmente as criptomoedas.

Este movimento estaria ganhando força segundo especialistas. Desde o início do ano, autoridades da Índia declararam publicamente que o governo não reconhece o bitcoin como uma moeda legal.

Entretanto, uma série de estudos iniciou-se em 2017 para possíveis regulamentações de moedas digitais e ainda não foi concluída. O que leva a crer que as criptomoedas podem se estabelecerem no mercado indiano.

Enquanto a Índia está indecisa, outros países estão mais otimistas.

paises otimistas com as criptomoedas - moedas virtuais brasil

Enquanto a Índia vive esta indecisão com as criptomoedas, outros países vão avançando para o crescimento do negócio. Israel anunciou na metade de março que estaria abrindo espaço para as moedas Cut e Carat fechar parceria com a Bolsa de Diamantes do país.

O projeto foi criado por um start-up israelita, com objetivo de atingir investidores e traders em geral. Contribuintes interessados em aumentar seus negócios, direcionando a essas matérias-primas.

Já a Coreia quer impor regras para a tributação de criptomoedas. Porém, as mudanças podem acontecer ainda no primeiro semestre deste ano, em meados de junho, por intermédio do Ministério das Finanças do país.

A Coreia quer cobrar impostos sobre ganho de capital conseguidos nas transações com moedas virtuais. No entanto, também a possibilidade de tributar o nicho de outras maneiras. A informação foi divulgada pelo portal coreano Financial News.

“Para tributar a receita proveniente de uma transação em moeda digital, é necessário alterar a lei de imposto de renda para adicionar a categoria de objetos tributáveis”, acrescenta a reportagem.

Se gostou, conheça e curta a nossa página oficial do facebook:
https://www.facebook.com/moedasvirtuaisbrasil/